Orientação

Meu progresso nas minhas atividades físicas não tem sido segredo a ninguém, desde quando comecei a acordar mais cedo e caminhar e ouvir as mensagens do Rob Bell e do Erwin McManus tenho compartilhado aqui, afinal, essa é uma mudança que tem feito uma boa diferença no meu dia a dia, quando era adolescente já gostava de correr, parei um tempão e é realmente bom voltar a ter uma rotina dessas! A motivação mudou, hoje eu ouço as mensagens no carro na minha volta do trabalho para casa, mesmo assim, tenho me animado ainda mais à medida que tenho participado destas provas de 5 Km (por enquanto) na USP, o clima destas provas é muito bom.

Nas últimas semanas, um amigo que é professor de Educação Física começou a me ajudar com planilhas semanais de treinamento, à medida que faço o que ele prescreveu, compartilho a performance em disposição e ritmo dos exercícios, e isso foi um passo bastante importante nesse processo de atividade física. Ser orientado é outra coisa, eu faço os exercícios com a certeza de que esse esforço já faz parte de um contexto e vai me levar a algum lugar, graças a isso tudo, eu consigo ter objetivos em prazos bem definidos. A gente estava conversando que o homem precisa de projetos e objetivos, tenho sido perguntado de quais são os meus projetos, e acho que, no geral, estes objetivos de participar de algumas provas mais desafiadoras são os que estão bem mais ao meu alcance agora.

Hoje em dia, eu tenho buscado orientação não somente nas atividades físicas, que hoje já faço de forma bem segura, mas em outras coisas da vida que preciso desenvolver, e isso tudo é chave para um monte de frustração com as quais  convivemos hoje. Não foi à toa que Jesus definiu que o desenvolvimento da sua igreja não se daria tanto com salas de aula, mas com relacionamento mestre/discípulo; a vida como ele ensinou e viveu seria passada com vida. Esse desenvolvimento requer mestres que tenham o que ensinar e discípulos que estejam dispostos a aprender. Mais tarde, aparece Paulo encorajando as comunidades a se engajarem com o que de melhor eles são para que todos sejam maduros, já pensou isso, uma turma em que todo mundo colabora para maturidade de todos? E é isso que a gente precisa, conversa, busca, reconhecimento do que precisa melhorar, reconhecimento de quem pode ajudar e esforço para que todos estejam bem.

Sei lá, parece que a gente vê mestres demais por aí, mas à medida que a gente não vê tanta coisa legal acontecendo, não sei se o passo anterior de reconhecer que precisamos entrar em uma jornada de aprendizado seja bem mais necessária agora.

2 respostas para “Orientação”

  1. Atividade Física é uma opção adulta e correta. Problema quando você escreve essas coisas é o pessoal aqui de casa ler. Agora vou esconder seu blog deles, uns dias. Se não, ja sei o que me espera. 🙂

  2. Diría que tens buscado a excelência, e isso é bom, respeitável e digno de reconhecimento.
    Nada melhor do que uma atividade física e um bom bate-papo!
    Ótimo exemplo!
    Vou ver se faço uma esteira com esposa agora, p/ colocar os papos em dia e perder umas gordurinhas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *