Sem pânico, nem ignorância

Como pai, tenho acompanhado de forma muito apreensiva esta escalada do H1N1, tenho lido tudo que posso, se acontecer alguma contaminação aqui perto, acho que tenho que ter algum plano imediato de ação, afinal, pelo que tenho visto, do pessoal que morreu até agora, me parece que foram casos em que a ação não foi tão imediata.

Gostei bastante do que vi em dois posts publicados hoje, um do Andrew Jones: Swine flu and a calm, reasonable, rational Church (Gripe suína e uma igreja calma, rasoável e racional) Andrew nos chama à atenção a respeito de um pânico que está se tornando desproporcional e quem pode estar se beneficiando de tudo isso, tem outro post do Eugene Cho”our church’s response to the H1N1 – swine flu” que publicou as providências que ele está tomando em sua igreja, depois de ver 6 escolas fechadas no estado onde há 7 casos confirmados (Washington), serenamente, ele exorta a igreja a não cair em nenhum dos extremos, o pânico e a ignorância. É um momento que a gente precisa de serenidade para lembrar a todos o que realmente está acontecendo

Lembrei daquele dia que, depois que o PCC atacou uns postos policiais, começamos a ouvir de tudo quanto é lado informações de bandos que estavam metralhando estações de trem, de que a polícia estava aconselhando a todos ficarem em casa etc. No dia acabei voltando ás 2 da tarde perplexo em ver o medo simplesmente esvaziar a cidade, quem lembra dos jornais mostrando a Praça da Bandeira e o Anhangabaú totalmente vazios sabe o poder que o pânico tem para mudar o comportamento de uma população inteira!

É realmente lamentável ver tanta gente morrendo por esta doença, assim como sempre acho realmente lamentável ter visto tanta gente morrendo no Rio e na Bahia por Dengue, oro para que as famílias afetadas tenham o consolo do Espírito Santo assim também para os que estão preocupados com seus amados enfermos. No entanto, precisamos nos ater aos fatos, aguardar como a doença vai se alastrar e agir quando necessário, cuidar da saúde e observar bem o que estamos levando á boca e aos olhos. E se você quer realmente aplicar sua fé nesta situação, veja o que a Christine Sine falou também: N1N1 Swine Flu – What Can Christians Do?

Uma resposta para “Sem pânico, nem ignorância”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *