A visita cruel do tempo

Uma vez assisti a um episódio do Extreme Makeover – home edition que não esqueci mais, era um casal que enfrentou problemas de bullying com o filho e resolveram se mudar para uma fazenda fora da cidade, a vida na fazenda não ia nada bem e eles quase faliram até que eles foram escolhidos pela produção. Os pais se conheceram ainda na escola, o pai era jogador do time de futebol americano da escola e a mãe era, tipo, a cheerleader, eles formavam um belo casal. O que mais me intrigou desde então era isso: em um momento eles formavam o casal bonitinho da escola e em outro estavam à beira da falência com dificuldades com os filhos, o tipo de coisa que me dá vontade de falar aos adolescentes, se um dia voltar a falar a eles: que tipo de padrão nos levam a escolher a pessoa com quem passaremos a vida, na hora que você está apaixonado colando a foto um do outro no espelho do quarto, o que você menos pensa é na capacidade que vocês terão em resolver problemas financeiros ou de comportamento dos filhos no futuro, mas uma coisa ainda vai levar a outra. Maluco não é?

O tempo passa, e à medida que contamos os principais fatos da nossa vida em tempos de 10, 20 anos, é divertido e interessante ver as diversas voltas que a vida dá, por isso que Davi registra uma oração a Deus a esse respeito em seus salmos:

Ensina-nos a contar os nossos dias de forma que alcancemos corações sábios

Imagem

Li um livro no começo desse ano que me deu essa mesma sensação do tempo, “A visita cruel do tempo”, havia tempo não pegava uma ficção e aceitei a recomendação do pessoal do “Fim de expediente”, gostei demais do livro. Jennifer Egan foi extremamente hábil em mesclar as histórias em momentos diferentes, nos personagens contando suas histórias no seu próprio estilo e nos fazendo surpreender com os destinos que seus personagens davam no desenrolar das histórias. Em um momento, você lê uma narrativa normal falando de uma mulher cleptomaníaca, e em outro, você lê powerpoints de uma menina que poderia ser sua filha e em outro um cara fazendo a dissertação de suas aventuras amorosas, se contar mais, esse texto vai virar spoiler, mas me fez refletir muito nas voltas que a vida dá. Como a versão que li era em inglês, chegava a me perder um pouco, mas não deixei de me divertir com esta forma de narrativa. Recomendo.

One thought to “A visita cruel do tempo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *