Log das últimas semanas: a 28 semanas do IMB14

Tive uma semana intensa de viagem desde o sábado dia 9, portanto não pude sequer compartilhar o que se passou nestas semanas, comecei no dia 4 uma semana de pico, pensando na competição do dia 24, baixando um pouco o ritmo sem perder tanto a intensidade, pude manter a natação com regularidade e ainda consegui encaixar um treino de transição (1:25hs de bike mais 25 mins de corrida) no sábado de manhã, que foi bem importante para mim. Completei a semana com umas 6 horas e meia de treino. foi bom ter treinado no sábado de manhã, à noite peguei um vôo para Miami e (depois de um Dramin) pude dormir boa parte do vôo, primeira vez que consigo dormir bastante em um vôo destes.

A semana em Miami foi intensa, 3 horas de fuso são bem suficientes para atrapalhar meu sono, com todos os compromissos da semana, e também algumas compras, consegui pelo menos uma corridinha de 50 minutos na belíssima orla de Fort Lauderdale na quinta feira (veja o mapa de onde corri no link http://www.trainingpeaks.com/av/WRY42HAV6XCOGYSP4BKSXJRZE4), sábado consegui uns 30 minutos de natação no meu prédio e no domingo o último treino de transição pra valer (1:15hs de bike e 20 mins de corrida). A semana com muitas refeições em conjunto e pouca atividade esportiva acabou me desfocando do peso, voltei aos 91 kgs na volta, mas nada desesperador, vou competir com um peso bem melhor que as últimas duas provas, esta semana devo comer bem melhor aqui em São Paulo.

Agora a semana é mais para estimular o corpo para prova de domingo em Pirassununga, domingo, dia 24 tem o Long Triathlon de Pirassununga (1900m de natação, 90 kms de ciclismo e 21 kms de corrida). Estarei a exatos 6 meses do IronMan, com toda a correria de viagem e trabalho ainda não me sinto na adrenalina da prova, espero, pelo menos que os treinos até o começo do mês tenham me preparado bem para domingo.

Log da Semana: a 30 semanas do IMB14

Semana passada encerrei a última semana de construção, senti bastante os esforços das 3 semanas, só que no sábado eu terminei o treino antes da hora por causa de mais um furo da câmera no pneu de trás da bike, troquei de forma errada, utilizei corretamente o cilindro de CO2 que encheu o pneu instantaneamente, mas a câmera na área da válvula foi mal colocada e acabou explodindo, voltei caminhando por 25 minutos até o carro. Terminei a semana com 8:04hs de treino, nada tão promissor, mas grato a Deus por terminá-la sem lesões. Terça feira passei no Puertollano para rever meus conhecimentos de troca de pneu e peguei algumas dicas, valeu a pena.

Depois de três semanas intensas, esta última semana foi de descanso, treinos sem muita intensidade para recuperar a musculatura, exceto pelo treino de natação na sexta-feira, fiz minha primeira sessão dupla de treino e fiz 1:50hs de aula, aguentei bem mas passei o restante do dia meio mole, hei de acostumar. Terminei a semana com 8:09hs de treino, 3:35hs de natação, 2:22hs de bike e 2:11hs de corrida. Terminei a semana com 89.6 kgs e 26.6% de gordura.

Tenho três semanas até o Long de Pirassununga e até lá, tenho dois treinos importantes de transição essa semana e dois na semana que vem, em um deles vou ter que me virar, pois estarei viajando, entre estes treinos, estarei treinando natação e alguns treinos de recuperação.

Depois de um “bullying” de um colega IronMan busquei o apoio de uma nutricionista para minha preparação para o IronMan a partir de Dezembro, depois de uma primeira avaliação, pesei 88Kgs e 23% de gordura (avaliação com instrumentos mais confiáveis), vamos baixar mais 4% de gordura entre outras coisas. Vou poder me orientar bem melhor a respeito da suplementarão alimentar, coisa que sou bem conservador sempre tenho utilizado com bastante moderação, além disso, vou poder ter uma segurança maior a respeito de como me alimentar nos treinos mais pesados, recuperação muscular e finalmente, como será minha estratégia no dia da prova.

Log da semana: a 32 semanas do IMB14

Terminei a semana meio atribulado e perdi um treino de natação, acabei tomando a sexta-feira como um dia de descanso, mas, como tive somente o sábado à tarde para treinar, fiz somente a corrida, ao contrário do que estava pensando no post passado. Completei 10:44hs de treino na semana: 50 minutos de musculação, 1:50hs de natação, 4:27hs de ciclismo e 3:37hs de corrida, mesmo com o tempo menor que a semana passada, completei com um TSS (Training Stress Score(TM), da Trainingpeaks) maior (525.2 x 519.7).

Tem alguns treinos que, se alguém me pega no meio do caminho, deve pensar que sou maluco. Quando estava voltando na Rod. Hélio Smith, quando estava tentando sustentar o pedal a 40 km/h, começava a gritar feito um pastor pentecostal, “Queima, perna, queima!”, no Long de Caiobá, fiz uma contagem regressiva dos últmos 7 Kms, isso até me ajuda, não tanto na reputação, pelo menos nos meus objetivos de completar o treino.

A semana foi a mais maluca no meu peso, quando não esperava mais encontrar 92 quilos na minha balança, encontrei 92.9 Kgs na terça feira, alguns passos atrás na minha curva, graças acho aos deslizes do final de semana, acho eu. Como tive o treino de ciclismo hoje (quase 3 horas, 2 delas em um ritmo mais forte), terminei a semana no ponto debaixo da curva 89.9 Kgs (faz tempo que não chego à casa dos 80), com 25.9% de gordura.

Vamos lá para última semana mais pesada antes do Long de Pirassununga, vou ter alguns compromissos de trabalho depois dessa semana até lá, vamos ver como me viro.

Log da semana: a 34 semanas do IMB14

Passamos por um domingo sem internet, como já estou ocupando as noites de segunda para musculação, ficou bem difícil colocar dois posts, mas aí vai o resumo:

Semana passada, completei a última semana do bloco com 9:55hs de treino, impressionante considerando que comecei a semana me recuperando dos 20 kms corridos da Maratona de Revezamento do Pão de Açúcar.

Essa foi uma semana de descanso e fiz 7:13hs de treino, 55 minutos de musculação, 2:45hs de natação, 1:31hs de corrida e 2:01hs de ciclismo. Essa semana, comecei a encontrar 91 quilos na balança, o que me anima um pouco, a pesagem agora foi de 92.5kgs e 28% de gordura, o que é mal, e exige um plano de ação imediato esta semana. Espero marcar uma avaliação em breve com números mais oficiais.

Acabei me convencendo a ir para Pirassununga em 24 de novembro para fazer o Long Triathlon, vai ser uma oportunidade interessante para aumentar o nível dos meus treinos agora e começar em um patamar melhor. As próximas três semanas serão mais intensas.

A visita cruel do tempo

Uma vez assisti a um episódio do Extreme Makeover – home edition que não esqueci mais, era um casal que enfrentou problemas de bullying com o filho e resolveram se mudar para uma fazenda fora da cidade, a vida na fazenda não ia nada bem e eles quase faliram até que eles foram escolhidos pela produção. Os pais se conheceram ainda na escola, o pai era jogador do time de futebol americano da escola e a mãe era, tipo, a cheerleader, eles formavam um belo casal. O que mais me intrigou desde então era isso: em um momento eles formavam o casal bonitinho da escola e em outro estavam à beira da falência com dificuldades com os filhos, o tipo de coisa que me dá vontade de falar aos adolescentes, se um dia voltar a falar a eles: que tipo de padrão nos levam a escolher a pessoa com quem passaremos a vida, na hora que você está apaixonado colando a foto um do outro no espelho do quarto, o que você menos pensa é na capacidade que vocês terão em resolver problemas financeiros ou de comportamento dos filhos no futuro, mas uma coisa ainda vai levar a outra. Maluco não é?

O tempo passa, e à medida que contamos os principais fatos da nossa vida em tempos de 10, 20 anos, é divertido e interessante ver as diversas voltas que a vida dá, por isso que Davi registra uma oração a Deus a esse respeito em seus salmos:

Ensina-nos a contar os nossos dias de forma que alcancemos corações sábios

Imagem

Li um livro no começo desse ano que me deu essa mesma sensação do tempo, “A visita cruel do tempo”, havia tempo não pegava uma ficção e aceitei a recomendação do pessoal do “Fim de expediente”, gostei demais do livro. Jennifer Egan foi extremamente hábil em mesclar as histórias em momentos diferentes, nos personagens contando suas histórias no seu próprio estilo e nos fazendo surpreender com os destinos que seus personagens davam no desenrolar das histórias. Em um momento, você lê uma narrativa normal falando de uma mulher cleptomaníaca, e em outro, você lê powerpoints de uma menina que poderia ser sua filha e em outro um cara fazendo a dissertação de suas aventuras amorosas, se contar mais, esse texto vai virar spoiler, mas me fez refletir muito nas voltas que a vida dá. Como a versão que li era em inglês, chegava a me perder um pouco, mas não deixei de me divertir com esta forma de narrativa. Recomendo.