Evangelho

Marcos, o evangelista, escreveu o primeiro relato sobre Jesus que serviu de base para as pesquisas de Lucas e para os Imagemrelatos do outro evangelista Mateus revelar Jesus como o Messias prometido. Um detalhe muito interessante que pude compartilhar com uns amigos ontem foi que Marcos colocou seus escritos em um estilo literário totalmente novo, não se classificou como biografia, que tipo de biografia ignora os primeiros 30 anos de vida de alguém e dedica metade de sua história a última semana de sua vida? Os relatos foram históricos, mas não foram necessariamente histórias, não estão em uma ordem histórica.

Os cristãos podiam escolher estes relatos com os termos da época: os termos gregos iluminação ou conhecimento ou judaicos, como instruções ou sabedoria. Mas escolheram classificar estes relatos como Evangelho, quando os exércitos romanos ocupavam uma região, eles mandavam o evangelion do Imperador ao povo falando da nova situação em que eles se encontravam o que aconteceria de novo dali em diante e como lidar com o rei.

Imagine a coragem dos primeiros cristãos em assumir que estão seguindo um novo evangelho, de um outro reino, com prioridades e formas diferentes de lidar com a vida, essa nova identidade, com certeza levou muitos às arenas para serem executados. Além disso deixa claro duas coisas, primeiro fala o que Deus já fez por nós ao invés de instruções do que devemos fazer para Deus; e também deixa claro que o evangelho são eventos históricos que afetam nossa vida.

A realidade não é diferente hoje, vivemos em um império que impõe suas prioridades e seu modo de vida no consumo. O evangelho nos traz novas prioridades e liberdade para se desconectar às exigências do mercado. Escolher o evangelho é muito mais que se dedicar a algumas devoções, escolher mensagens bonitas no Facebook e ser bonzinho, é aceitar um modo de vida desafiante, mas libertador. Está preprado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *