Log da semana: a 17 semanas do IMBR14

Finalizo este confuso segundo bloco com 15:34hs de treino, 50 minutos de musculação, quando tentei aumentar o peso em alguns exercícios, principalmente os de perna; 3:35hs de natação, 4:18hs de corrida e 6:50hs de bike. O calor dessa semana tem sido o grande desafio dos meus treinos, principalmente os longões de bike e corrida, na bike, senti que fiz a última volta (pouco mais de 30 minutos) meio desidratado, o Gatorade e a água já estavam quentes e tinha que torcer chegar para tomar a água e Gatorade gelados que tinha guardados em minha geladeira, mas não consegui fazer a segunda volta de corrida depois dos 131 quilômetros rodados e com aquele sol de 30 graus. Hoje fiz o longo de corrida no Horto Florestal, com muito mais subidas e descidas do que meu percurso da semana passada, resolvi dar uma volta de 40 minutos por fora do Horto, o que colocou em risco o restante do treino, o calor e a subida da Luís Carlos Gentile Laet fez com que eu fizesse os 40 minutos finais de treino no “survivor mode”, coisa que me lembra as corridas que fiz nos Longs do ano passado.

Próxima semana é o descanso e restauração para um terceiro bloco mais denso.

Esta semana fiz um bike fit, foi interessante, o Marcos da Bike North avaliou minha flexibilidade, a curvatura das minhas costas onde localizou uma sinfose (acho que é isso) que me dá uma flexibilidade até média, levou em conta a força da minha perna direita a despeito da esquerda (que tem uma placa vinda de um atropelamento de 25 anos atrás) que a deixou com um centímetro de diferença da outra (coisa que até já vi falarem mas já não levava mais em conta) e considerou o quanto rodo e minhas aspirações, o tipo de coisa que não se considera quando somente se levanta ou abaixa o selim ou o gudião. Ele viu que eu estava muito estendido, por isso trocou a mesa, diminuiu a distância do meu clip e propôs trocar meu selim por outro que considere minha utilização do clipe, coisa que devo fazer na próxima visita, além disso, ele mudou o encaixe da minha sapatilha para que evitasse o atrito com o pedal, é só ver o pedivela que você vê a marca da minha sapatilha. Sugeriu também mudanças na minha forma de pedalar e na minha posição, coisa que tentei fazer bastante ontem, tenho mais duas visitas para ajustes finais, acho que isso vai ajudar muito para que as dores nas costas das últimas provas não ocorram mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *