Reflexão pós-quaresma

No começo do ano, repassei para um pessoal próximo, um post muitíssimo interessante do Mustard Seed Associates, enquanto eles propunham um calendário alternativo, nos colocaram um questionamento muito interessante: Quem ou o quê define o ritmo do seu ano? Você é daqueles que espera começar as propagandas do dia das mães para começar a se preocupar com isso, espera os primeiros ovos de páscoa surgirem no supermercado para aguardar esse “feriado”? Uma resposta bem sincera, mostra o quanto estamos realmente secularizados. O salmista pede a Deus para ensiná-lo a contar os dias para alcançar um coração sábio, talvez porque quando a gente não consegue mais contar os dias e deixa que os dias passem de forma tão corrida, deixamos de aproveitar o momento, refletir para onde a vida vai e quem sabe direcionar para onde deveria ir.

Aprendi demais nessa quaresma, eu até tinha me proposto a escrever alguma reflexão no syncroblog organizado pela Christine Sine, mas eu só conseguia acompanhar parte de muita coisa boa que aparecia dia a dia pelo Google Reader, eram reflexões, orações, arquivos e videos como os que compartilhei aqui ou pelo Twitter, na verdade foi muito legal ver tanta coisa boa me chamando a pensar no que essa Páscoa realmente significa para mim, resposta a um trabalho muito bem pensado com o lançamento de um guia para a quaresma. Como foi legal ver tantas manifestações ricas nos cultos das igrejas que acompanho por aqui, tanta coisa legal que precisa ser colocado ao vivo e curtido em comunidade aqui.

A Páscoa não termina aqui, daqui até o Pentecoste, há mais 50 dias para refletir sobre todo o tempo que Jesus Cristo ressurreto esteve com os discípulos, há também um guia para estes dias, há muito para aprender e espero poder praticar isso tudo logo.

Quaresma

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=_sxKxGmLOf4]

(Music by Joseph Arthur. Cartoons by Si Smith)

Nós somos cercados por tanto medo.

Nos lugares secretos de nossos corações,

Só Deus e nós sabemos o que está realmente acontecendo.

Às vezes, nem nós mesmos nos conhecemos

Mas nós só conhecemos o medo.

O medo do pecado dominar nossas vidas.

O medo da morte e do desconhecido.

O medo do futuro que parece escuro e apagado.

O medo do mal e forças malígnas nos atacar de novo e de novo.

Nós não podemos escapar de encarar todos estes medos,

Mas nós escutamos um chamado para caminhar –  caminhar pela fé.

Fé naquele que nos vê como nós somos,

e promete nos levar para onde deveríamos estar.

Ele já fez isso antes, e ainda faz isso hoje.

Junte-se a mim para caminhar com Jesus nos próximos 40 dias,

juntos nós podemos ouvi-lo falar novamente,

“Não tenha medo. . .

. . .  você está livre!

Você pode ser livre em mim

Você pode ser livre através de mim!”

Extraído do blog do Sivin Kit – Malásia